segunda-feira, 29 de junho de 2009

Dança

Existe expressão artística corporal mais bonita que a dança? Talvez somente o canto, mas o mesmo muitas vezes não é nada, sem o balanço harmônico do corpo. Adoro dançar! Quando deixamos que o ritmo nos envolva, faz com que, por instantes deixemos de ser nós mesmos; eleva o espírito. Alguns dançam por que gostam, outros por dinheiro, outros por exibicionismo, mas no final tudo é arte... Do mais estranho balanço das tribos norte-africanas até os movimentos robóticos do break (Hip Hop), no final, tudo é ritmo. Gostaria de concluir com as palavras do grande Rei do Pop, falecido a pouco, que respondeu quando perguntado sobre o que pensava no momento em que dançava: “Não penso, é um erro pensar enquanto se está dançando... Dança é sentimento” (Michael Jackson).

Lucas Rodrigues

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Misters e Misses

Para aqueles que já venceram algum concurso de beleza, mesmo que seja “o mais belo da Empresa de Esterco”, é para eles que este post é endereçado. Como Mister também, posso falar com propriedade desta excelente função que é a representação social, através dos concursos. Muitos consideram futilidade, outros acham um absurdo que aja esse tipo de seleção: sejamos francos... Ou são um bando de gente feia e que não se ama, ou pessoas que adoram contrariar pura e simplesmente. Eu gosto muito desse tipo de evento, por sinal aguardo com ansiedade o concurso de Miss Universo 2009 (assim como todos Miss Brasil, Miss RS, Mister Brasil e por aí vai). Digo àqueles que não gostam, que aprendam a respeitar e saber que futilidade ou burrice, nada têm a ver com títulos de beleza, isso depende da pessoa e do seu caráter; posso dizer sobre todos que conheci até hoje, que todos são muito bem servidos dessas boas qualidades. Sobre os meus ídolos nesse quesito são bastante óbvios: Zana Krasniqi – minha mana, Miss Kosovo 2008; Lucas Gil – Mister Universo 2007 e Natália Guimarães – verdadeira Miss Universo 2007 (figura), por isso digo: “a beleza do mundo não somente está na aparência, está em nossos atos”. Beijos a todos Misters e Misses”.

Lucas Rodrigues

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Tempo

Inexoravelmente o tempo passa... Num dia estamos engatinhando pela casa e cobertos de brinquedos, no outro estamos correndo de bicicleta e cobertos de sujeira. Inexoravelmente o tempo passa... Num dia estamos caminhando rumo á escola e cobertos de tarefas de casa, no outro estamos rumando para a universidade e cobertos de projetos. Inexoravelmente o tempo passa... Num dia estamos resolvendo problemas no trabalho cobertos de papel, no outro estamos em reuniões e cobertos de responsabilidades. Inexoravelmente o tempo passa... Num dia estamos casando e cobertos de arroz, no outro estamos cobertos por filhos. Inexoravelmente o tempo passa... Num dia estamos envelhecendo, no outro estamos cobertos de rugas. Inexoravelmente o tempo passa. Num dia estamos vivos, no outro estamos coberto por terra. Inexoravelmente a vida passa.

Lucas Rodrigues

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Águas passadas

Estive pensando hoje, em como a relação com ex-namorados(as) podem ser diversa. Alguns reagem bem, se reinventando e assumindo novos compromissos, ou seja, te têm como amigo e assim permanecem serenos. Outros acabam definhando e perdendo o rumo transformando-se em indivíduos superficiais e, por que não, pervertidos. Há aqueles que aparentam se transformar... Compram novas roupas, mudam o cabelo, se pudessem mudavam de cor. Isso acontece em função de quererem se readaptar, se reestruturar, porém, isso muitas vezes não é possível. Esse tipo de pessoa acaba se estragando e perdendo tudo aquilo que anteriormente tinha de bom; por conseqüência de não amar a si próprio, não ama mais ninguém e está fadado à solidão. Por isso digo aos amigos que tenho passando por momentos assim: “bola para frente!”, esqueçam o passado e partam para outro relacionamento; nada como um grande amor para esquecer outro. Às pessoas que já namorei, peço: “não percam o que tinham de bom, pois do contrário ninguém mais verá a beleza que vi em vocês”.

Lucas Rodrigues

terça-feira, 23 de junho de 2009

Biblioteca escolar

Quantos bibliotecários, ou até mesmo os estudantes, já não pensaram sobre as bibliotecas escolares e afirmaram: “Longe de mim esse tipo de lugar!”. Eu pensava assim, afinal de contas sou muito mais chegado à gestão. Odiava me imaginar em uma biblioteca direcionada ao público infantil e ter que gerenciar o acervo e coordenar uns “diabinhos” no meio das estantes... Um inferno! Porém, essa imagem mudou. Aprendi que os leitores ou usuários infantis são os que mais correspondem ao nosso trabalho de bibliotecário. Descobri que podemos estimular o prazer em ler, ou invés do hábito, tornando o papel do profissional da informação num alicerce para a criação e sustentação de novos leitores. Repenso e respeito a biblioteca escolar agora e tenho sempre em mente uma coisa: que faz a biblioteca é o bibliotecário.

Lucas Rodrigues

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Seleção das frutas

Escolher as melhores e mais vistosas frutas e legumes para a alimentação é extremamente normal. Incomum seria ver alguém procurando uma maçã podre no mercado. De fato, aplicamos o mesmo às nossas relações interpessoais, visando a melhor escolha e uma adaptação cada vez maior no seu círculo social. Não fujo a essa regra. Procuro selecionar a dedo as minhas amizades, e graças a Deus, nunca tive grandes surpresas com relação a isso. Meus amigos(as) são ótimos! São lindos, inteligentes, companheiros, saudáveis e acima de tudo confiam no meu potencial, assim como confio no deles. Nunca pensei que pudesse falar com tanta propriedade que: “amigo é coisa para se guardar, do lado esquerdo do peito, debaixo sete chaves, dentro do coração”.

Lucas Rodrigues

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Biblioteconomia Inteligente

Discute-se muito a questão dos tipos de Biblioteconomia que acabamos exercendo no mercado do trabalho. Evidentemente, carregamos muito daquilo que aprendemos em sala de aula. Muitos resistem a chamada Biblioteconomia Tradicional, voltada ao acervo e todo a aquele paradigma da Idade Média, custodial, onde o livro é tido como um “tesouro” e nós bibliotecários somos os guardiões dessa riqueza. Todos sabemos que hoje os tempos são outros, mas muito desse paradigma custodial ainda vive. Nos apossamos das unidades de informação chamando de “nossas bibliotecas”, isso é comum. Porém, há pessoas que começam a pensar além do paradigma pós-custodial, voltado ao usuário. Uma dessas vertentes é a Biblioteconomia Inteligente. Pouquíssima explorada até agora. Pensa em uma biblioteca voltada, não ao usuário, mas sim a demanda de informação dele. Biblioteconomia Inteligente tem esse nome, pois prevê a demanda com antecedência e atende com rapidez a necessidade. Um tipo de bibliotecário que planeja, pensa e age antecipadamente e que está na vanguarda da Ciência da Informação.

Lucas Rodrigues

terça-feira, 16 de junho de 2009

Anjo caído

Nesta manhã de céu nublado
Minha imaginação me dá asas
Dando-me a chance de voar
Pois a contemplar o céu
Um pássaro vi cruzar

O silêncio do vento
Machuca os ouvidos
Desse pobre sonhador
Que padece em busca do amor

Avermelhando o céu
Com sangue impuro
Que brota do meu coração
Cujo qual eu mesmo feri
Com a arma traição

Lágrimas caem do céu
Sou anjo caído que começa a chorar
Sem ser digno de teu perdão
Ajoelho-me então
E digo: ”Mata-me!”.

Lucas Rodrigues
(28/4/2002)

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Distorção

Algumas pessoas se sentem felizes por distorcer o que os outros falam. Algumas delas fazem para o seu proveito, outras simplesmente por serem “futriqueiras”, causadoras de intrigas. Hoje pela manhã, fui surpreendido por uma colega que gosto muito. Falou que estava magoada comigo por ter zombado dela... Sendo que nem fiz isso. De fato, esclareci as coisas. Porém, pessoas mal-intencionadas vão sempre existir, e vão sempre distorcer as coisas que falamos a fim de nos atingir. Felizmente, esse tipo de manobra não me atinge, pelo contrário, me faz rir perante tanta besteira. Distorcer o que falo, ou faço, é fácil... Difícil é distorcer a verdade.

Lucas Rodrigues

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Dia dos Namorados

Há coisa melhor que o Dia dos Namorados? Talvez somente o Natal... Diferentemente de qualquer outra data festiva, esse dia é uma celebração do amor, somente entre duas pessoas. Fico feliz por ter alguém que me faz feliz. Nesse início de inverno, é bom ter quem nos aqueça, que nos afague, que nos mime... Que esse fim de semana seja ótimo para todos. Para aqueles que ainda não encontraram a pessoa certa, aguardem, essa pessoa sempre parece, não importa o tempo que demore.

Lucas Rodrigues

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Fumaça de ônibus e cigarro

Muito se fala em má educação, mas fumar sob uma parada de ônibus em dia de chuva é o cúmulo! Não vejo problemas, quer fumar, fume... Mas bem longe de mim! Quer destruir a tua vida, vá em frente, mas não force os outros a compartilhar desse veneno. Por mim, proibiriam de fumar até na rua, assim não teríamos que suportar essas pessoas sem um pingo de respeito pelos outros.

Lucas Rodrigues

segunda-feira, 8 de junho de 2009

O ser autoritário

Uma pessoa que, através da força, faz prevalecer a sua opinião, é um ser autoritário. Àquele que as pessoas seguem por livre e espontânea vontade, é um líder. Porém, muitas pessoas acreditam que ser firme, incisivo e consciente de suas convicções, são sinais dos tiranos. Alguns me acusam disso... Ha, ha, ha, ha! “Príncipe Mimado” como alguns me chamam. Infelizmente, em um mundo de comunistas de botequim, e de pessoas que sequer conhecem a História, fica fácil acusar, julgar. Pessoas que “arrotam” Democracia e que no fundo, não passam de pessoas provincianas e que fortalecem uma Aristocracia besta e sem sentido. Faço minhas as palavras da minha colega Andressa: “Infeliz é o mundo em que sinceridade e opinião se tornaram falta de respeito; e o cinismo é o tipo mais refinado de boa educação”. Prefiro mil vezes ser aquele que é tachado por usar a “Coroa da Arrogância”, do que ser aquele que cruza os braços quando vê tudo desmoronar sobre sua cabeça... Quanto às “pedras” que encontro no caminho... Junto todas elas, pois é com elas que o “Príncipe Mimado” aqui irá construir o seu castelo.

Lucas Rodrigues

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Nostalgia

Hoje eu acordei nostálgico. Acredito que no fundo todos nós somos assim. Quem não sente saudades dos tempos áureos da infância, ou até mesmo da tórrida fase da adolescência. Sinceramente, não sei o que desencadeia essa vontade de voltar ao passado, rever os amigos (que hoje não têm tempo), sentir o cheiro de grama molhada na primavera ou comer aquele pão feito em casa pela avó. Pois é, não é possível retornar e viver isso novamente... Resta-nos viver o agora e aproveitar cada momento para que num futuro, próximo ou distante, passamos lembrar com carinho desta época e sentir nostalgia novamente.

Lucas Rodrigues

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Elipse

Ouvindo uma música triste começo a pensar...
Pensar em quanto tempo perdi...
E que ainda posso perder... Não é fácil!

A vida é alegre na maioria das vezes, embora os pessimistas achem que não.
Não sei como me expressar, mas querendo um dia ser o Rei da Expressão.
É muito complicado, porém é muito simples se soubermos viver.
Busque a felicidade e, com certeza, nunca irá doer.

O mundo gira, o rio flui, o som toca e o amor resiste.
É fato, não desiste!
Somos fortes até que nos provem o contrário.
Depois dos obstáculos depende de nós levantarmos e lutarmos.

Tristes podemos seguir, mas seguimos...
Sejamos fortes no ar, na terra, no mar...
Pois o mundo não parou de girar.

Nenhum amor, nenhum calor, nem colo de mãe.
A vida é nossa força, e é das tristezas dela que garantimos nosso vigor,
Nosso amor, nosso calor.
Tristezas são passageiras como a dor.
Assim, só nos resta amar, por que o mundo ainda não parou de girar...

Lucas Rodrigues
(28/10/2006)

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Disseminando mais que informação

Francamente, senhoras e senhores... Quem disse que Bibliotecário só estuda para fazer os outros calarem a boca e guardar livros em estantes? Quem disse que fazemos disciplinas de “Iniciação ao Shiu”, “Metodologia do Silêncio” ou “Aplicação de Frigidez em Bibliotecas”? Realmente quem pensa assim não imagina o quão diferentes podem ser os Bibliotecários e Bibliotecárias. Muito mais interessante seria dizer que aprendemos a ser o estereotipo sexual de muitos, embora nunca assumam. Foi se o tempo que o profissional da informação era um velho de gravata borboleta em um museu, ou talvez uma mulher velha com cabelo em coque, com uma cara amarrada, com a alma tão seca quanto às páginas de um livro. Isso não acontece mais, graças à “Dewey”*! Falo por mim e por meus colegas. Gente nova, bonita e, porque não, sensual... Afinal de contas, nós temos como dever disseminar a “informação”... Seja ela qual for.

Lucas Rodrigues

*Dewey: Criador do Código Decimal

terça-feira, 2 de junho de 2009

Inverno e Carnaval

Pergunto-me se o inverno muda as pessoas... Será que esse clima frio faz com que as pessoas fiquem frias comigo? Eu não mudo, pelo contrário, eu adoro! Fico feliz, me visto melhor, me alimento bem, tenho quem me esquente com “cobertor-de-orelha”. Imagino que as pessoas que não possuem essas regalias, efetivamente fiquem mais frias, carrancudas, mau-humoradas. Fatalidade a deles. Quem dera se no Brasil pudesse nevar com intensidade. Mas, infelizmente, isso não é possível. Fazer o que se vivemos no país do calor, do Carnaval e da “bunda” pelada... Pensemos positivo, um dia isso muda... Quem sabe em algum momento uma nevasca cai sobre o país, e teremos um Cristo Redentor coberto de neve, com muito Carnaval e bunda gelada.

Lucas Rodrigues

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Amor Volátil

Bem dizem que o amor é volátil. Vezes nos traz alegrias, vezes nos traz sofrimento. Mas, se pensarmos bem, as palavras de Camões são bem vivas, embora bastante clichê:

"Amor é fogo que arde sem se ver; É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer. É um não querer mais que bem querer; É um andar solitário entre a gente; É nunca contentar-se de contente; É um cuidar que se ganha em se perder. É querer estar preso por vontade; É servir a quem vence o vencedor, É ter com quem nos mata lealdade. Mas como causar pode seu favor, Nos corações humanos amizade; Se tão contrário a si é o mesmo amor?"

Profundo... Mas muitas vezes superficial. Sofrer por amor é algo muito fácil, mas fácil ainda é fazer as pessoas sofrerem por amor. De fato, muito se aprende, muito se ensina nesse aspecto. Porém, no fundo somos todos aprendizes dessa arte "volátil" que é o amor. Altamente mutável! Quando se pensa que se aprendeu tudo (como eu muitas vezes), a vida lhe surpreende. Essa surpresa pode ser boa, pode ser ruim... Pode ser vermelho-sangue, talvez azul anil... No final, ninguém escapa desse volátil sutil amor...

Lucas Rodrigues

Um começo

Bem vindos ao meu Blog!

Esse é um espaço para a exposição das minhas idéias e convicções. Um canal interessante que a pouco decidi explorar. Espero que possam apreciar as informações que aqui colocarei. Algumas com conteúdos mais sérios, alguns desabafos talvez, outras com teor mais humorístico... Isso dependerá do meu estado de espírito. Mas de fato só quero uma coisa com esse blog: que você se divirta e tenha a informação que deseja. - Venha tomar um café com o Bibliotecário, e saber das novas!

Lucas Rodrigues