segunda-feira, 1 de junho de 2009

Amor Volátil

Bem dizem que o amor é volátil. Vezes nos traz alegrias, vezes nos traz sofrimento. Mas, se pensarmos bem, as palavras de Camões são bem vivas, embora bastante clichê:

"Amor é fogo que arde sem se ver; É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer. É um não querer mais que bem querer; É um andar solitário entre a gente; É nunca contentar-se de contente; É um cuidar que se ganha em se perder. É querer estar preso por vontade; É servir a quem vence o vencedor, É ter com quem nos mata lealdade. Mas como causar pode seu favor, Nos corações humanos amizade; Se tão contrário a si é o mesmo amor?"

Profundo... Mas muitas vezes superficial. Sofrer por amor é algo muito fácil, mas fácil ainda é fazer as pessoas sofrerem por amor. De fato, muito se aprende, muito se ensina nesse aspecto. Porém, no fundo somos todos aprendizes dessa arte "volátil" que é o amor. Altamente mutável! Quando se pensa que se aprendeu tudo (como eu muitas vezes), a vida lhe surpreende. Essa surpresa pode ser boa, pode ser ruim... Pode ser vermelho-sangue, talvez azul anil... No final, ninguém escapa desse volátil sutil amor...

Lucas Rodrigues

0 comentários:

Postar um comentário