terça-feira, 16 de junho de 2009

Anjo caído

Nesta manhã de céu nublado
Minha imaginação me dá asas
Dando-me a chance de voar
Pois a contemplar o céu
Um pássaro vi cruzar

O silêncio do vento
Machuca os ouvidos
Desse pobre sonhador
Que padece em busca do amor

Avermelhando o céu
Com sangue impuro
Que brota do meu coração
Cujo qual eu mesmo feri
Com a arma traição

Lágrimas caem do céu
Sou anjo caído que começa a chorar
Sem ser digno de teu perdão
Ajoelho-me então
E digo: ”Mata-me!”.

Lucas Rodrigues
(28/4/2002)

1 comentários:

F. disse...

euri xD

Postar um comentário