segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Queda do Castelo de Cartas

Geralmente quando construímos um castelo de cartas começamos pela base e com muito cuidado. Cada carta posta é como se fosse uma conquista. Contudo, quanto mais alto se vai, maior é a frustração da queda. Meu namoro acabou, e assim como um castelo de cartas se desfaz com uma suave brisa, meu relacionamento teve um fim súbito e prematuro (a meu ver). Frustração, como já disse, eu sinto... Entretanto, depende unicamente de nós levantarmos novamente, sorrir relembrando os bons momentos – mesmo que as lágrimas corram sobre o rosto. No fim, ter perseverança e começar a reconstruir o castelo de cartas, sem medo que elas despenquem novamente. São tristes essas palavras que venho falar a vocês e deixar público que estou solteiro de novo desde quinta-feira à noite. Mas o que me consola é ter passado por esse processo de forma tranqüila e civilizada. Só penso nas pessoas que ficam para trás que, de forma ou de outra, fizeram parte desse relacionamento... Sentirei falta delas. Todavia, tenho uma mãe maravilhosa e amigos que fazem jus ao seu título; estes que me surpreenderam com uma festa surpresa na noite de sábado para me animar. E funcionou! Sinto o novo ar entrar e inflar meus pulmões, me fazendo espirar somente gratidão.

Lucas Rodrigues

2 comentários:

Leonardo disse...

Tem pessoas que não dão valor ao que tem... Bom, eu dou valor...

Léo

Leonardo disse...

AH, te enviei um e-mail... Bj

Postar um comentário