sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Museus Virtuais: uma ferramenta de divulgação

Hoje falaremos sobre museus virtuais e a sua importância. Mas antes de tudo é necessário entender o que é um museu eletrônico (ou virtual), que nas palavras de Andrews e Schweibenz (1998) está muito bem colocado:

uma coleção logicamente relacionada de objetos digitais compostos de variados suportes que, em função de sua capacidade de proporcionar conectividade e vários pontos de acesso, possibilita-lhe transcender métodos tradicionais de comunicar e interagir com visitantes [...] não há lugar ou espaço físico, seus objetos e as informações relacionadas podem ser disseminados em todo o mundo.

A meu ver essa ferramenta de divulgação, vem ao encontro da comodidade e gratuidade do advento da WEB; sem contar que é um grande avanço cultural e da globalização, uma vez que acaba com as fronteiras para a difusão de conhecimento. De fato, é muito mais interessante visitarmos o museu em sua forma física. Entretanto, se não é possível, por que não visitá-lo virtualmente? A questão que vem a tona é a “a riqueza de possibilidades oferecida por este novo meio de comunicação [que] trata-se de democratizar de forma radical o acesso às exposições, permitir um contato interativo com os objetos expostos e criar redes de discussão, que poderão dar continuidade à experiência de visitação ao museu.” (LEITE, 2002, p. 85). É um grande avanço, partindo pré-suposto que muitos possuem tours virtuais excelentes. Dentre alguns sites de museus que visitei o que achei mais interessante, completo e dinâmico foi o do Museu de Artes El Pais (MUVA), no Uruguai: http://muva.elpais.com.uy/flash/muva.htm?&lang=sp. Contudo, nem todos tem bons tours virtuais. O MARGS (Museu de Arte do Rio Grande do Sul), por exemplo, deixou a desejar e alguns que visitei não possuíam essa opção virtual ou não a explicitavam no site. Reforço que acho de vital importância para a sociedade esse tipo de iniciativa, que torna mais convidativo o ambiente do museu e proporciona um universo de conhecimento, mesmo estando a quilômetros de distância do espaço físico da unidade de informação.

Lucas Rodrigues

ANDREWS, J., SCHWEIBENZ, W.. The Kress study collection virtual museum project, a new medium for old masters. Art Documentation, v. 17, n. 1, Spring Issue 1998, p. 19-27.

LEITE, Miriam. Museu virtual: O diálogo possível na distância. In: ENCONTRO SOBRE PESQUISA EM EDUCAÇÃO, COMUNICAÇÃO E DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA EM MUSEUS (EPECODIM), 1., 2001, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: Museu da Vida/FINEP/Museu de Astronomia, 2002. p. 81-86.

0 comentários:

Postar um comentário