terça-feira, 5 de abril de 2011

Crueldade sobre Rodas

Hoje, como de costume, me encaminhei para pegar o ônibus e vir para o trabalho. A parada fica numa das avenidas mais movimentadas de Porto Alegre, e mesmo sendo cedo já estava cheia de carros e motoristas ansiosos. Entretanto, o que marcou (e estragou meu dia) foi o acidente que ocorreu. Se é que foi acidente... Tudo aconteceu quando um cachorro-de-rua tentou atravessar. Um carro (tipo SUV) desceu a avenida com muita velocidade e acertou em cheio o pobre cão. Ele foi jogado para cima e bateu com força no asfalto. O motorista não parou. Até aí isso é, de certa forma, comum. O que não foi comum ver, foram os demais motoristas (cinco no mínimo) atropelarem e “reatropelarem” o corpo do cão. Algumas pessoas (estou incluso nesse grupo) tiveram que intervir, pois nenhum carro dava sinal que pararia. O animal ficou irreconhecível. E pensar que minutos antes eu estava acariciando o cachorro... Enfim, um senhor com uma carrocinha de papel, recolheu o animal com uma pá e disse que ia enterrá-lo. Todo esse choque logo pela manhã, me fez lembrar como meu cachorro, Kiko, morreu; quase da mesma forma estúpida. Lembrei-me de como me senti naquele dia e o quanto fiquei atordoado. Como podem existir pessoas capazes de tamanha atrocidade? Como podem existir pessoas que se sintam acima das conseqüências, simplesmente por estarem dentro de um carro? Fico revoltado e constrangido por existirem cidadãos dessa estirpe, que nos envergonham; nos dando um “tapa” gélido de realidade brutal às 7h da manhã.

Lucas Rodrigues

1 comentários:

Charles Espolier disse...

Sempre tem um babaca pra fazer esse tipo de coisa e tantos outros pra seguir. Infelizmente o mundo é assim. Muito triste isso! Beijo, amor!

Postar um comentário