terça-feira, 10 de maio de 2011

União Estável

Agora gays podem ter uma união estável... Ou seja, praticamente, um casamento. Bom, a maioria das pessoas sabe minha opinião sobre isso. Acho importante, contudo, até certo ponto dispensável. Claro que isso dá mais direitos e proporciona igualdade de forma institucionalizada. A única coisa que me questiono é se todo homossexual visa uma união desse tipo... A resposta é clara: não, nem todos visam isso. Logo, muitos pensam em recriminar aqueles que não seguem essa prerrogativa. Eu não critico. Acredito que todos temos fases. Uns ainda curtem ir às festas e pegar todo mundo; outros estão felizes em sua “solteirisse”; alguns vão aproveitar a lei a constituir família... Isto é: continuamos iguais... Heterossexuais e gays, todos com os mesmos dilemas, controvérsias e tipos de atitudes e atividades. Parabéns aos nossos políticos por isso e espero que continuem nesta linha de pensamento que faz a Constituição efetivamente igualitária. Quanto aos comentários carregados de preconceito e ignorância, que surgiram por parte de religiões, grupos radicais ou pessoas idiotas sem ter o que fazer (especialmente aquelas com um Twitter a disposição), deixo minha piedade por suas mentes tão pequenas, bitoladas e obsoletas.

Lucas Rodrigues

2 comentários:

Marcia Kupo disse...

Achei ótimo. Mesmo que milhares de gays não pensem ou não queiram casar, garantir o direito de uma união reconhecida (e tudo mais que vem com ela, como pensão, herança, plano de saúde pro conjuge etc.) é fundamental.

aos heterossexuais esse direito existe desde sempre, mesmo que tenha um catatau de gente que morre ser usufruir disso porque escolheu nao casar. com os gays não vai ser diferente.

Lucas Rodrigues disse...

XD Isso aí Márcia! Saudades de ti... Nunca mais entrou no Twitter... ¬¬

Lucas

Postar um comentário