quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

8° Encontro - 22/11 : Palestrantes : Eliane M. e Liz E.

Falou-se neste dia em recursos e tecnologias, em especial em escolas. Salientou-se que deve haver mais recursos para “acessibilizar” a escola; implementando tecnologias assistivas, que são o conjunto de recursos e serviços que proporcionam qualidade de vida. Nos damos conta na palestra, que não adianta ter um belo plano no papel, mas o mais importante é garantir que os alunos possam ter autonomia. Acima de tudo o planejamento de ações de acessibilidade, deve ser implementado e sair do projeto. Ainda neste meio, as professoras falaram sobre projetos do governo com relação à acessibilidade e que avanços tem ocorrido nesta área política/legislativa. Ainda neste viés, foi comentado sobre o Programa INCLUIR que, como sugere o nome, tem como objetivo a inclusão de pessoas especiais. Num segundo momento, falamos de questões mais operacionais como periféricos de computador, iluminação, bengalas, colheres, simuladores e etc, que facilitam a vida de portadores de necessidades especiais. Também ainda reforçando a necessidade de prever e planejar um atendimento digno para essas pessoas. Habilitando assim a equipe para biblioteca para que a mesma esteja preparada para esse tipo de situação. Outra questão levantada foi que a pesquisa só se desenvolve no âmbito acadêmico. Sendo que os pesquisadores só se interessam em conseguir o título almejado, depois tudo para, e cessam-se os estudos. Temos que nos conscientizar da importância do nosso papel, não só como mediadores, mas também como administradores dos recursos. Temos, como bibliotecários, que estar atentos aos projetos do Governo e, porque não, criarmos nossos próprios. Devemos agir de forma estudada e planejada, para assim atender com excelência as demandas informacionais dos nossos usuários especiais.

Lucas Rodrigues

0 comentários:

Postar um comentário