sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Bela Adormecida

Contos de Fadas são mágicos, mas já vimos nas postagens anteriores que de mágicas as raízes desses clássicos nada tem. Hoje falarei sobre o conto da Bela Adormecida. Essa é a história, como vocês devem conhecer, da moça que espeta o dedo numa farpa ou agulha de roca e cai em sono profundo, graças à maldição da bruxa má. A mesma é salva pelo Príncipe Encantado (sempre por ele) e todos vivem felizes para sempre. Esse rapaz parece bem bonzinho, não é mesmo? Contudo, nas versões mais antigas, esse príncipe encontra a Bela Adormecida e ao invés de beijá-la e despertá-la, ele se “aproveita” dela e a possui durante o sono (quase necrofilia). O que é pior, ele vem abusar dela recorrentes vezes. Numa dessas vezes ele a engravida e a Bela dá a luz a gêmeos. Na ânsia da fome, um dos gêmeos suga o dedo da mãe adormecida e retira a farpa, fazendo a mãe despertar. O príncipe aparece para abusar da Bela Adormecida, mas se depara com ela acordada... Sinceramente, se eu dormisse e acordasse com dois filhos para cuidar, pois fui abusada, eu ficaria muito brava. Mas com a Bela na foi assim, pois o príncipe então decidiu se casar com ela. Entretanto, não poderia levar as crianças e ela para seu castelo, pois a mãe dele (em alguns casos era a esposa traída) era uma bruxa, uma mulher metade ogro. Para quem não sabe, ogros comem crianças. Logo, a “avó” tentou comer os próprios netos. Felizmente, ela não consegue e a Bela convence o príncipe a decapitar a mãe ogra. Final feliz? Para quê? Assim termina a história. Sintam-se felizes por não ter um príncipe tarado no seu conto de fadas.


Lucas Rodrigues

1 comentários:

Marcia Kupo disse...

bááá, tu destruiu meus sonhos infantis!

Bela Adormecida é meu conto de fadas favorito e agora vou olhar pro príncipe Felipe e enxergarei um necrófilo!!

Postar um comentário