quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Branca de neve

Continuando os comentários sobre as reais versões dos Contos de Fadas, que por diversas vezes se revelam surpreendentes. Hoje falarei acerca de um conto que também é extremamente popular: Branca de Neve e os Sete Anões. Quem não ouviu a história da moça que foge para a floresta, após a madrasta malvada pedir para um caçador lhe trazer o coração da moça; que após tudo isso conhece anões que a abrigam até o momento em que a madrasta, transformada em velha, lhe entrega uma maçã envenenada. Com isso Branca cai em sono profundo, sendo somente acordada pelo beijo do belo príncipe encantado. Linda história, não? Pois é a minha favorita! Entretanto, existem mais revelações sobre a Branca de Neve de que se imagina. Muitos sabem que, no original dos Irmãos Grimm, a Branca de Neve tinha somente sete anos, mostrando assim nuances de pedofilia com relação ao príncipe. A parte que mais choca é o fato de que ela não é beijada pelo príncipe em momento algum, embora ele a ame. Ele a encontra “morta” e leva seu corpo para jazer no castelo, pois assim ela jamais se separaria dele. Pode-se pensar até em necrofilia neste trecho. Interessantes são as figuras dos anões que são totalmente destorcidas. Eles na verdade são representações do muitos servos que o príncipe possuía. Logo, o despertar da Branca de Neve é realizado por um desses cervos que, indignado de carregar o caixão de vidro para todo lado, desconta sua raiva batendo no corpo inerte da moça. Na surra, ela seva um soco no estômago, fazendo assim com que o pedaço de maçã seja expelido. Bem a verdade o despertar dela não foi muito “mágico” ou romântico. Após acordar, o príncipe e a Branca de Neve (já sua esposa) se vingam da bruxa má, que em várias versões é a própria mãe da menina. Diferentemente da história da Disney a madrasta/mãe não cai de um penhasco; ela é obrigada a usar sapatos de ferro em brasa e dançar até a morte. Essa vingança faz mais sentido, pois na história original, a rainha má pede ao caçador não somente o coração, mais vários órgãos e um pote grande de sangue... Imaginem para que ela queria isso? Para “jantar” a Branca de Neve e assim assumir possuir a beleza da moça, ou seja, canibalismo puro. Algo bizarro na atualidade, mas que não era tão estranho na época que o conto tinha esse formato. Ainda bem que a história não é desse jeito hoje (risos)... Imaginem, talvez daqui a uns 500 anos, Jogos Mortais talvez vire conto de fadas.


Lucas Rodrigues

0 comentários:

Postar um comentário