quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

João e Maria

Finalmente uma história que não tenha Príncipe Encantado, mas que, para variar tem uma bruxa malvada. O conto de João e Maria retrata a vida de dois irmãos que são abandonados na floresta para morrerem, em função da madrasta má que convence o pai das crianças a isso. Perdidos eles tentam se orientar utilizando cascas de pão para voltar para casa, contudo, os pássaros comem a trilha e eles acabam se embrenhando ainda mais na floresta. Encontram então uma casa de doces, que na verdade é uma armadilha criada por uma bruxa, a fim de pegar crianças e comê-las (canibalismo). Eles são pegos, mas enganam a bruxa e a empurram para dentro do forno. Depois voltam para casa e o pai abandona a madrasta. Uma história quase inocente, não fosse as nuances de canibalismo que existem até hoje. Nas versões antigas, a bruxa e a madrasta são a mesma pessoa, o que colabora para uma versão mais assustadora. Não existe casa de doces ou trilhas de pão, e o que é ainda pior, o pai era tão ruim quanto a madrasta e ambos detestavam os filhos. Certo dia, com a paciência no limite, a madrasta decide matar João e pede a Maria que o amarre num tronco (em algumas versões, um cavalete) e estripe-o. Maria finge então que não sabe como fazer para amarrá-lo e pede para a madrasta/bruxa mostrar como fazer. Quando ela demonstra como deve posicionar João no tronco, assim, as duas crianças amarram-na rapidamente. Presa e sem escapatória, as crianças lhe cortam a garganta e furam-lhe os olhos. Logo, para fugir do martírio que passavam, eles roubam tudo de valor na casa, incluindo o ouro e a carroça da família e fogem, antes que o pai tirano voltasse do trabalho no campo. Final feliz para João e Maria, que ganham dinheiro e liberdade, num mundo nenhum pouco doce.

Lucas Rodrigues

0 comentários:

Postar um comentário