quarta-feira, 4 de abril de 2012

Enrustidos


Quem é sabe: ser gay não é fácil. Preconceito, bullying na infância, crises de identidade e religiosidade e etc. Logo, ninguém escolhe ser homossexual, fato. Contudo, muitos se salvam e realmente sentem-se bem o bastante para assumir para as pessoas e para si mesmos a sua orientação sexual. A postagem de hoje é sobre aqueles que não conseguem transpor essa barreira: os "enrustidos" ou "mal resolvidos". Para quem nada sabe, são aquelas pessoas que sabem o que sentem no quesito sexual, mas mesmo assim se reprimem e/ou optam por seguir uma vida que a família ou a sociedade dita como comum/normal. Nisto acabam fadados a uma vida de mentiras e que, posteriormente veem à tona, atingindo a todos, causando consequências não somente a pessoa, mas também a toda à "família de faz-de-conta" que gerou. Estes tem preconceito consigo mesmos. Há aqueles que não chegam a esse nível, que assumem para si próprios sua homossexualidade, mas vivem uma vida de mentiras perante a família (que muitas vezes não os aceitaria). Eu acho isso péssimo, pois, querendo ou não você acaba mentido e enganando pessoas que podem te recriminar sim, mas que podem te receber de braços abertos. Acho que vale o risco, especialmente se for por alguém que merece tamanho empenho: você. Todavia, acredito que cada um deva fazer aquilo que considerar melhor, mas àqueles que me pedem conselhos, sempre aconselhei a verdade, por mais que choque, que cause intrigas; digo isso pois penso que uma coisa descoberta é muito pior do que uma coisa revelada. Se sua família descobrir sua homossexualidade através de você, será bem mais fácil a aceitação, do que descobrirem por boca de terceiros. Não é simples, mas muitas vezes é necessário. Isso fará com que se sinta bem e é fato que não será mais preciso inventar uma desculpa esfarrapada para visitar a sua (seu) namorada(o). Para quem já é bem resolvido fica fácil, mas também compreendo a complexidade de famílias religiosas, tradicionalistas ou preconceituosas; a minha, por exemplo, é as três coisas... Não foi simples, mas hoje é natural. Claro que no início é complicado quebrar paradigmas e dogmas, mas o tempo ajuda bastante. Ter coragem é algo fundamental nesse processo, pois somente assim se pode enfrentar um mundo de adversidades. Resumindo: saia do armário e seja feliz! Ou fique nele e morra infeliz numa vida permeada por mentiras, máscaras e fachadas.

Lucas Rodrigues

0 comentários:

Postar um comentário