terça-feira, 14 de maio de 2013

O Pequeno Álvaro


Como eu contei na postagem anterior, estou trabalhando numa biblioteca escolar. Estou bastante feliz e contente em poder aplicar tudo que aprendi ao longo dos anos na faculdade. Contudo, hoje fui surpreendido por uma situação. Aconteceu durante a visita dos alunos menores, no que seria equivalente a um nível anterior ao jardim de infância. Eu estava recebendo os alunos e olhando os livros que os pequenos queriam levar para casa. Um deles se aproximou de mim e perguntou: “Tu é novo aqui, né? Qual teu nome?” – Eu respondi e perguntei o nome dele – “Meu nome é Álvaro, prazer em conhecê-lo...” Posso dizer que achei ele uma fofura, querido e educado e devia ter uns 4 ou 5 anos. Enquanto os outros brincavam e falavam alto (o que é natural nessa idade), o Álvaro estava bem tranquilo folhando um livro do Backyardigans. Sentei-me ao lado dele e perguntei se ele já sabia ler e ele me respondeu que não, disse que os pais dele liam para ele. Como o pequeno tinha muito interesse no livro, perguntei se gostaria que eu lesse a pequena história e respondeu: “Claro que sim! Por favor!” Enquanto os outros continuavam a brincar, ele ficou atento enquanto eu lia a historinha e pareceu bastante contente. Não tive tempo de contar até o fim, pois o sinal tocou. Ele pediu que eu lesse o resto na próxima visita deles na biblioteca e foi se juntar aos outros colegas. Levantei-me e já ia organizar os livros que eles haviam deixado para trás, foi quando Álvaro voltou correndo do outro lado da biblioteca e me abraçou forte na altura dos joelhos, disse: “Muito obrigado por ler para mim, tu é meu herói da biblioteca!”. Eu me contive para não me emocionar com tamanha demonstração de carinho... Tão pura, tão singela, tão espontânea... Passei a mão na cabeça dele e disse: “Eu que agradeço Álvaro...”. E foi aí que eu me senti realizado como profissional, como pessoa, como futuro pai.

Lucas Rodrigues

0 comentários:

Postar um comentário